quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Happiness? Felicidade? Felicidad? Felicità? Xìngfú? Glück?

"When the fever’s set, the crowd is hot,
The gloves are off, the knives are out And you’re on your own''

 É praticamente a lei da vida é essa "você está por sua conta", traduzindo, você está sozinho. Você tem sua família, seus amigos, suas coisas, mas você continuará sozinho, por mais que você lute contra isso a realidade é essa. Estamos sempre nessa busca de preencher nossas vidas com coisas materiais, ilusórias, com outras pessoas, mas pessoas nunca vão preencher por completo. Pessoas preenchem momentos, sentimentos, caminhos e às vezes conforto.

A felicidade? É aquela coisa que se encontra no fim do caminho daquela corrida olímpica infinita que se dá mil voltas e tropeços para alcança-la. Muita gente desiste, muita gente alcança e muita gente nunca consegue chegar nela, nem muito menos senti-la.

Eu acho que nunca consegui alcançá-la, se alcancei talvez tenha escapado rapidamente pelas mãos. Penso todo dia no passado e em como eu seria se estivesse escolhido outros caminhos, será que talvez eu a alcançaria? Talvez sim, talvez não. Na minha vida eu não consigo nem enxergá-la pelo caminho e nem consigo imaginar como eu iria proceder se eu a pegasse. Me sinto o Coyote nessa corrida pela felicidade (e obviamente me fodendo), cujo eu ainda não sei os motivos de tê-la pra mim.



Hoje eu acordei com a dor de cabeça infernal. Fiquei três dias sem óculos, porque a armação do meu óculos quebrou, eu fiz uma gambiarra nele e segunda eu resolvi ir numa ótica e comprar uma armação nova, porém minha atual condição financeira não me permitiu que eu mandasse fazer lentes novas, como as minhas lentes são novas, eu comprei armação e mandei que colocassem as minhas lentes. E isso gerou esses  três dias sem enxergar ninguém na rua, no trabalho e uma irritação violenta que fiz o máximo que pude pra esconder isso de todos.
Agora já busquei meu óculos novo e a dor de cabeça e irritação ainda permanece. Bebi café, comi porcaria, dormi no banheiro do trabalho e joguei um pouco de água no rosto. Mas praticamente nada disso fez efeito, eu ainda estou irritada e com dor de cabeça.

Iniciei aqui uma tentativa de escrever algo sobre morte, apaguei. Depois tentei sobre minha condição de depressão nervosa, também apaguei. Por fim, iniciei um assunto de "como se foder em 3 dias", tentei iniciar como minha dependência com meu óculos afeta bastante em minha vida. Mas só consegui desenvolver o inicio deste post, sobre "Felicidade".

Não sei ainda como posso dizer dentre esses três assuntos aleatórios, se completam. Acho que o tema morte foi por uma lembrança que o facebook fez de uma postagem minha de alguns anos com essa imagem aqui:

E com o gatilho dessa imagem iniciei sobre meu problema com depressão nervosa  (que fui diagnosticada quando tinha 16 anos após uma série de trocas de escola, seguida de expulsão e um encontro inesperado com drogas e abuso de álcool), e como estava irritada, percebi que não estava com cabeça para escrever sobre isso, e ai iniciei um post desastroso sobre como ficar sem óculos por três dias fodeu minha vida, até chegar nesse aqui. 
E sim, confirmando, eu sou um turbilhão de ideias tortas dissimulantes que não sabe se expressar direito e tenta fazer isso da melhor forma possível, fazendo assim mais confusão em tudo. 

De fato, o que eu escrevo aqui é pra mim, se servir de algo pra alguém, fico feliz. Mas uso isso aqui como forma de tentar me expressar melhor, para que eu me entenda e para que quem passa por aqui tente me entender. Embora muitas vezes eu só faço cada vez mais confusão.



O ontem já foi, o hoje está caminhando e o amanhã? Ah, o amanhã é só mais uma chance de fazer merda e se arrepender depois. Uma chance de continuar correndo, tropeçando, se fodendo e levantando.

Postar um comentário